Notícias

Para CUT, redução no valor do salário mínimo para 2018 é resultado do golpe

A Executiva da Central Única dos Trabalhadores (CUT) divulgou nota, nesta sexta-feira (18), condenando decisão do governo ilegítimo de Michel Temer, de reduzir em R$ 10,00 o valor do salário mínimo de 2018.

Na nota, a CUT repudia a crueldade das ações golpistas contra os segmentos populares e conclama a sociedade brasileira a se mobilizar contra mais este ataque aos direitos dos trabalhadores

Na quinta-feira (17), a direção da CUT reuniu-se em São Paulo, para debater as principais propostas que serão levadas ao 15º Congresso Extraordinário da central, que acontecerá entre os dias 28 e 31 de agosto.  O enfrentamento à Reforma da Previdência, a anulação da Reforma Trabalhista e da legislação que tornou a terceirização irrestrita serão temas destacados no encontro.

Veja a seguir a íntegra da nota da CUT.

Temer tira dez reais do salário mínimo para pagar a conta do golpe

Para economizar R$ 3 bilhões por ano, Temer anunciou nesta quarta-feira (16)  redução de R$ 10 no valor salário mínimo previsto para 2018 – de R$ 976, o SM caiu para R$ 969.

Para a CUT, a justificativa do governo, escondida por trás de um argumento técnico, é mais uma medida de Temer para penalizar a classe trabalhadora com a retirada de direitos e redução da renda.

Um governo que gastou mais de R$ 15 bilhões em dinheiro público para se livrar da investigação de corrupção na Câmara dos Deputados, tira do bolso do trabalhador um dinheiro que poderia ser usado para comprar pelo menos 1 quilo de feijão (R$ 5,48) e outro de arroz (R$ 3,20) por mês. Isso é um crime contra a humanidade.

E isso em um momento de recessão profunda, com a economia estagnada, desemprego recorde, corte em programas sociais como bolsa família, fim de programas como o “Farmácia Popular”, congelamento de gastos na saúde e na educação; além de ataques sistemáticos aos direitos trabalhistas, como a reforma Trabalhista, terceirização, trabalho dos comerciários aos domingos e feriados e congelamentos de salários dos servidores.

A CUT entende que Temer não tem uma política econômica que aqueça o mercado interno, gere emprego e renda, estimule a circulação do dinheiro; trabalha com o extermínio da classe trabalhadora e dos mais pobres.

Qualquer pessoa minimamente informada sabe que, o reajuste do salário mínimo tem um efeito importante, pois contribui para aquecer o mercado interno, elevar os pisos salariais de categorias com salários mais baixos e os benefícios de quase 60% dos aposentados que recebem até 1 salário mínimo.

Para a CUT, o governo ilegítimo e golpista de Temer não pensa nos/as trabalhadores/as, tirou o povo do Orçamento da União e comete um crime nunca antes visto na historia do Brasil, que é reduzir o valor do salário mínimo.

A CUT conclama  toda a sociedade brasileira para que se junte as mobilizações que fará contra mais essa medida irresponsável e criminosa do governo Temer.

 

São Paulo, 18 de agosto de 2017

Executiva Nacional da CUT 

Print Friendly, PDF & Email